Biópsias
Na Clínica Valência fazemos dois tipos de Biópsias: punção aspirativa com agulha fina e biópsia de fragmentos, ambas guiadas por ultrassom.

Cada tipo de biópsia tem prós e contras. A escolha de qual tipo a ser feito depende do aspecto, tamanho e localização da lesão, quantos tumores existem, outros problemas médicos associados, e as preferências pessoais do paciente, médico solicitante e do radiologista.

Na punção aspirativa por agulha fina (PAAF), o médico utiliza uma agulha muito fina ligada a uma seringa para retirar uma pequena quantidade de células da área suspeita. Estas células são enviadas para o médico patologista analisar ao microscópio e emitir o diagnóstico. A agulha usada é mais fina do que aquelas utilizadas ​​para exames de sangue. Geralmente são coletadas várias amostras do tecido alvo para aumentar a probabilidade do diagnóstico. Muito comum nas biópsias da tireóide, linfonodos e mamas.

Na biópsia de fragmento (core biopsy) a agulha é maior e é utilizada para retirar pequenos cilindros de tecido da área objeto do estudo. É feita com anestesia local. Idealmente, pelo menos duas amostras são coletadas. Leva mais tempo do que uma PAAF, mas é mais provável obter um resultado conclusivo porque mais tecido é retirado para ser analisado. Uma core biopsy pode causar equimose ou hematoma, mas não deixa cicatriz. Essa técnica é muito frequente para estudo de nódulos mamários, biópsia do fígado e da próstata.

Além das biópsias, o ultrassom também pode servir para guiar a aspiração e drenagem de líquidos, como cistos mamários, ou para marcar pequenos nódulos das mamas com fios metálicos para posterior retirada cirúrgica.

Estes procedimentos são realizados na Clínica Valência pelo Dr. Ivson Carvalho Ferraz, após agendamento prévio. Para mais informações entre em contato conosco pelo telefone (87) 3822-5077.