Eletroneuromiografia
A eletroneuromiografia permite a medição da velocidade de condução do nervo periférico após estimulação, além da gravação da atividade elétrica muscular.

É uma técnica que utiliza eletrodos de superfície para obter leituras eletrofisiológicas a partir de células nervosas e musculares.

A atividade do nervo é geralmente gravada utilizando eletrodos de superfície, estimulando o nervo em um ponto e gravando a partir de um outro local com uma distância mínima entre os dois. A diferença de tempo do potencial é uma medida do tempo necessário para que o pulso elétrico percorra a distância entre os dois locais e é uma consequência da velocidade de condução ao longo do nervo. A amplitude do potencial, da linha de base, medida de pico, ou pico a pico, são medidas decorrentes do número de fibras condutoras da resposta. Anomalias em dados obtidos a partir das medições, como a amplitude ausente ou baixa, indica lesão do nervo em estudo.

Esta técnica é usada em muitos campos da medicina moderna. Um exemplo de utilização é para detectar neuropatia devido a doenças como a diabetes mellitus. Também pode ser utilizada para detectar fraqueza ou paralisia muscular devido a sépsis ou insuficiência de múltiplos órgãos em pacientes comatosos.

Este método continua a ser de grande utilidade devido à sua eficiência e simplicidade relativa.

É especialmente atraente devido à ausência de precauções especiais ou preparação envolvidos com este procedimento. Há dor mínima e não há riscos significativos.

Na Clínica Valência esse exame é feito pela Dra. Rita de Cássia de Carvalho Leal, neurologista.

Para mais informações sobre marcação de exames ligue para (87) 3822-5077.